4 Dicas de cuidado com a pele do idoso no verão

A frequência de atividades realizadas ao ar livre cresce durante o verão, uma das épocas mais quentes do ano. O que não pode ser deixado de lado é que a incidência de raios solares também é maior nessa época, podendo ocasionar lesões na pele.

aiy4Agz5EdWEtn8BAi7DWGHS5WDB_O87723KOCjA

Com a chegada da terceira idade começamos a notar os sinais do processo natural do envelhecimento do corpo. A pele é considerada um dos órgãos que mais sofre transformações à medida que a idade avança, se tornando fina, sensível, menos hidratada e com elasticidade reduzida.  Fisiologicamente a atividade das glândulas que produzem o sebo, suor e colágeno acabam diminuindo a sua função, por este motivo a pele fica mais ressecada, desidratada e frágil.

O envelhecimento cutâneo é dividido em duas partes, intrínseco e extrínseco:

  • Intrínseco seria o envelhecimento fisiológico da pele (desgaste natural);
  • Extrínseco está relacionado à exposição da pele ao sol, os efeitos nocivos da radiação ultravioleta do sol são cumulativos, tendo maior risco de desenvolver o câncer de pele.

Por isso, a chegada da estação mais quente traz consigo uma série de cuidados que devem ser reforçados. Continue a leitura para receber 4 dicas de cuidado com a pele do idoso no verão!

1. Use roupas leves

Durante o verão é muito importante estar atento ao tecido das roupas utilizadas pelos idosos. Tecidos de algodão bloqueiam a maior parte da radiação Ultravioleta (UV), protegendo a pele e evitando queimaduras. Tecidos sintéticos por sua vez absorvem apenas 30% do calor.

Outro fator que deve ser considerado na hora de escolher a roupa que será usada é a cor. Para ficar mais fresco no calor opte por roupas claras, pois, elas refletem a luz solar, enquanto as mais escuras absorvem, causando a sensação de abafamento.

2. Aproveite alguns acessórios

Engana-se quem pensa que acessórios servem apenas de composição com as roupas. Durante o verão, óculos de sol e chapéus podem ser usados como uma barreira de proteção contra os raios solares. O uso de chapéus e óculos escuros protegem não somente a pele, como também os olhos, que previnem catarata e outras lesões.

Nos pés, sapatos abertos são a tendência por permitirem a respiração da pele, evitando a transpiração. É comum o uso de rasteirinhas e chinelos, esteja atento ao solado destes, pois alguns podem ser escorregadios e criar riscos para o idoso.

dWrI7RL5K2anSNeAK_CF1XDgl0YCbwj-NImgWo-n

3. Use cremes e protetores solares

Com o processo de envelhecimento a pele costuma se tornar mais flácida, enrugada e ressecada. O colágeno presente diminui e as fibras que sobram se desorganizam, modificando o processo de cicatrização, como consequência as glândulas sudoríparas diminuem, tornando a capacidade de transpiração espontânea menor.

O envelhecimento da pele pode ocorrer de forma precoce em alguns casos devido à fatores externos, como a exposição solar. Por isso, é tão indicado o uso de protetores solares ao longo da vida, prevenindo assim o acúmulo de riscos com o passar da idade.

 

Como cuidado é importante evitar o excesso de banhos, o uso de sabonetes antissépticos e o uso de buchas. Banhos demorados e com água muito quente promovem uma maior perda da barreira natural da pele, o que causa coceira constante devido à irritação e descamação da pele.

A hidratação da pele através do uso de cremes é um processo fundamental. Evite o uso de talcos, pois ele pode ressecar ainda mais a pele. Para os tipos de pele mais ressecadas, use cremes hidratantes que contenham ceramidas, ácido glicólico, vitamina E ou ureia, por exemplo.

Indispensável também é o uso de um filtro solar com fator de proteção recomendado por seu dermatologista. O correto é aplicá-lo com frequência e em todos os ambientes no dia a dia, não somente em ocasiões específicas, como idas ao clube ou praia.

4. Evite exposição ao sol por longos períodos

O banho de sol é recomendado, visto que pode trazer melhorias ao humor, além de resultar no aumento da vitamina D que é muito importante para o corpo. A recomendação é se expor ao sol durante 15 minutos por dia, preferencialmente antes das 10:00 e após 16:00.

3xu1yX2-JVgDMQEpXC6OJFPcx0qfDOucWmwS9KX6

Ficar exposto mais de 1 hora, ou entre o período citado anteriormente traz malefícios para a pele, como desidratação, queimaduras e até mesmo câncer de pele. Isso ocorre, pois a presença de radiação infravermelha (IV) e ultravioleta (UV) emitidas pelo sol, causam danos à pele quando em excesso.

Lembre-se!

Durante a época de calor a atenção exigida é redobrada. Por isso, se cuide por dentro e por fora, e estenda esse cuidado ao idoso presente no seu ciclo familiar.
Leia também o post: Como melhorar a hidratação do idoso no verão e saiba como cuidar dos idosos completamente durante essa estação!

Postado em